terça-feira, 7 de junho de 2011

Formação de Acordes II - Tétrades - Curso Teoria Musical

Fala Galera! Como havia prometido aqui estou eu para postar mais um seguimento as postagens do Curso Teoria Musical. Hoje falarei sobre a Formação de Acordes II - Tétrades que é um assunto teórico fundamental para você Músico. Esse Curso é acompanhado por uma Apostila. Esta Apostila está disponibilizada para download, basta você clicar no Link e quando abrir a página clicar em BAIXAR AGORA. O Link para download é: http://www.4shared.com/file/x5aRDfeo/Apostila_para_o_Curso_Teoria_M.html . Esta Apostila é um pouco maior das que foram postadas nos posts anteriores desse Curso, mas é de apenas 3,6MB! Para que você possa entender esse assunto que falarei aqui é preciso que tenha visto e estudado as postagens anteriores. Veja estas postagens no link: http://blogartmusic.blogspot.com/p/cursos-gratis.html ou clique na aba CURSOS GRÁTIS. Então vamos ao Post:

O que são Tétrades? As Tétrades são Acordes de 4 notas separados por Intervalos de Terça (3ª). É como se nós pegassemos uma Tríade e acrescentasse mais uma nota que iria formar um Intervalo de Sétima (7ª) que é a Fundamental da Tríade e também iria formar um Intervalo de Terça (3ª) em relação a nota que faz a Quinta (5ª) da Tríade. Qualquer nota acrescentada na Tríade precisa ser representada na Cifra no Acorde através de um algarismo qual que é este Intervalo que esta nota irá fazer com a Fundamental do Acorde. Por exemplo: Vamos considerar o Acorde de Dó Maior (C) que virá logo abaixo:



Nós deveremos acrescentar este Acorde a nota Si. Isso irá formar o Acorde de Dó com Sétima (7ª) Maior pois a nota Si faz um Intervalo de Sétima (7ª) Maior com a nota Dó (C) que é a Fundamental do Acorde. Abaixo o Acorde de Dó com Sétima (7ª) Maior / C7M:


Outro exemplo é se nós pegarmos o mesmo Acorde de Dó Maior (C) mas acrescentar agora a nota Sib. Esse Sib vai fazer um Intervalo de Sétima (7ª) Menor com a nota Dó (C) que é a Fundamental do Acorde. Juntando isso nós teremos o Acorde de Dó com Sétima (7ª) Menor ou simplesmente Dó com Sétima (7ª). Abaixo o Acorde de Dó com Sétima (7ª) C7:


Lembrando que a Sétima (7ª) é uma excessão na nomenclatura dos Intervalos pois quanto se é falado Sétima (7ª) Menor basta apenas por o 7, e quando é falada Sétima (7ª) Maior é necessário por o 7 e o M:
7M. Sendo assim considerando o Acorde de Dó Maior (C) ficaria:
C7: Dó com Sétima (7ª) Menor
C7M: Dó com Sétima (7ª) Maior
Nos outros Acordes isso não é necessário, sendo acrescentado apenas o sinal de - (Menos) quando o Acorde for Menor. Quando o Acorde for Maior não é necessário por sinais, apenas o número simboliza.

Acordes Maiores com Sétima: Para que fiquemos cientes da Formação de Acordes nós deveremos saber completamente sua formação, ou seja, o tipo de Acorde, os Intervalos e as notas que compõe este Acorde. Também é de extrema importância nós conhecermos bem o Braço do Violão pra poder encontrar qualquer nota em qualquer Acorde. Sabendo disso nós conseguiremos encontrar todos os Acordes que precisar. Então abaixo confiram algumas formas que servem para tocar todos os Acordes Maiores com Sétima:
Nós teremos como referência a forma do Acorde de Dó Maior (C):






Se nós quisermos fazer o Acorde de Dó com Sétima Maior basta tirar o dedo 1. Veja abaixo o Acorde de Dó com Sétima Maior (C7M):



Tendo esta forma mostrada acima, ou seja, a forma de Dó com Sétima Menor nós poderemos deslocá-la pelo Braço do Instrumento e conseguiremos fazer todos os Acordes com Sétima Maior. Nós deveremos trocar os dedos, ou seja, usar o dedo 3 no lugar do dedo 2, e o dedo 4 no lugar do dedo 3. Assim nós deslocaremos esta forma em uma casa e por uma Pestana com o dedo 1 até a Terceira Corda na 1º casa, formando assim o Acorde de Dó Sustenido com Sétima Maior D#7M que você pode ver abaixo:

Arrastando esta forma uma casa para frente, ou seja deslocando os dedos em uma casa e pondo a Pestana na 2º casa também até a 3º corda, nós teremos o Acorde de Ré com Sétima Maior D7M que você poderá ver abaixo: (Você também poderá ver isso na sua Apostila no tópico: Tétrades Maiores com Sétima Maior.)

Agora basta você ir adiantando esta forma para ir conseguindo formar os Acordes com Sétima Maior.
Isto também poderá ser feito por exemplo com o Acorde de Dó com Sétima (C7), mas não será necessário o uso da Pestana, sendo preciso apenas deslocar a forma. Abaixo veja o Acorde de Dó com Sétima (C7):

Se vocês deslocar essa forma fazendo com que ela comece na 3º casa nós teremos o Acorde de Ré com Sétima (D7), veja abaixo este Acorde de Ré com Sétima (D7):



Esta forma mostrada também poderá ir sendo deslocada assim como a forma mostrada no início deste tópico. Deslocando ela pelo Braço do Instrumento nós conseguiremos fazer todos os Acordes com Sétima.
A outra forma que também pode ser usada como as mostradas acima é a forma descendende do Acorde de Lá Maior (A). Abaixo o Acorde de Lá Maior (A):

Pegando este Acorde e diminuindo Meio Tom nós iremos formar o Acorde de Lá com Sétima Maior (A7M) que poderá ser visto abaixo:

Nós deveremos trocar os dedos e liberar o dedo 1. Depois deveremos deslocar esta forma em uma casa e por a Pestana até a 5º corda da 1º casa. Fazendo isso nós teremos o Acorde de Lá Sustenido com Sétima Maior (A#7M) que poderá ser visto abaixo:


Deslocando esta forma acima em uma casa nós teremos então o Acorde de Si com Sétima Maior (B7M) que poderá ser visto abaixo:

Dai nós deveremos também ir deslocando esta forma pelo Braço do Instrumento para ir formando todos os Acordes com Sétima Maior. Se nós quisermos tocar este Acorde mas sendo com Sétima Menor nós deveremos apenas tirar o dedo 2 e formaremos assim o Acorde de Si com Sétima Menor (B7) que pode ser visto abaixo: 

Este Acorde sendo deslocado pelo Braço do Instrumento poderá ir formando os Acordes com Sétima Menor.

A outra forma que nós vamos usar é a forma de Sol Maior (G), veja este Acorde Abaixo:


Se nós quisermos deixar este Acorde com Sétima Maior nós deveremos apenas pegar a nota Sol que está localizada na corda Mizinha apertada na 3º casa e recuar ela em uma casa. Dai nós devemos adaptar o resto dos dedos e formaremos o Acorde de Sol com Sétima Maior (G7M) que poderá ser visualizado abaixo:


Para nós deixarmos esse Acorde com Sétima Menor ao invés de Sétima Maior basta recuar a corda Mizinha em mais uma casa e adaptar novamente os outros dedos formando assim o Acorde de Sol com Sétima (G7) que poderá ser visto abaixo:


Este Acorde possui uma posição mais difícil para ir deslocando pelo Braço do Instrumento, então vamos considerar ele como o Acorde de Sol Maior mesmo.
A outra forma que nós podemos usar é a forma de Mi Maior (E) que poderá ser vista abaixo:


Nós deveremos observar que a nota Mi está encontrada na corda Ré apertada na 2º casa que é a Oitava (8ª) do Acorde. Nós deveremos pegar essa Oitava e deslocar ela em uma casa formando uma Sétima, ou seja, deveremos pegar esta nota Mi e jogar uma casa para trás, apertando esta mesma corda, mas na 1º casa e adaptando os dedos, formando assim o Acorde de Mi com Sétima Maior (E7M) que poderá ser visualizado abaixo:

Pegando esta forma e trocando os dedos para liberar o dedo 1 nós deslocaremos esta forma e colocaremos uma pestana na 1º casa apertando todas as cordas. Teremos assim o Acorde de Fá com Sétima Maior (F7M) que poderá ser visto abaixo:


Pegando esta forma mostrada acima e deslocando ela em uma casa nós teremos então o Acorde de Fá Sustenido com Sétima Maior (F#7M) que poderá ser visto abaixo:

Assim com os outros Acordes mostrados, esta forma segue sendo deslocada por todo o Braço do Instrumento para que forme assim todos os Acordes com Sétima Maior. Se nós quisermos transformar este Acorde para um Acorde com Sétima Menor basta pegar a notinha da corda Ré e recuar mais uma casa para trás, deixando ela apenas apertada pela pestana e formando o Acorde de Fá Sustenido com Sétima (F#7) que poderá ser visualizado abaixo:

Assim deslocando ou recuando esta forma pelo Braço do Instrumento nós teremos todos os Acordes com Sétima Menor.
Existem ainda formas mais simples que dispensam o uso da Pestana mas também servem para tocar o Acorde. Vamos tomar como referência o Acorde este mesmo Acorde de Fá Sustenido com Sétima Maior (F#7M) e iremos transformar ele na forma mais simples. Logo ele se transformará no mesmo Fá Sustenido com Sétima Maior (F#7M) porém com uma forma mais simples que poderá ser vista abaixo:

A última forma que nós poderemos usar é a forma do Ré Maior (D) que poderá ser visualizada abaixo:


Nós deveremos observar que a nota que está sendo feita pela 2° corda (corda Si) é também a nota Ré que é uma Oitava do Acorde. Se nós pegarmos essa nota e recuar ela em uma casa nós iremos ter a Sétima do Acorde e este Acorde irá se transformar no Acorde de Ré com Sétima Maior (D7M) que poderá ser também transformado em uma forma mais prática usando a Pestana e poderá ser visualizado abaixo:

Você também poderá fazer esta forma apertando com os dedos as 3 ultimas cordas na 2º casa pois ficará a mesma coisa desta representação mostrada acima. Se nós pegarmos essa forma e trocar os dedos deixando o dedo 1 liberado nós teremos a forma que poderá ser deslocada. Se nós deslocarmos essa forma e por uma Pestana na 1º casa nós iremos ter então o Acorde de Ré Sustenido com Sétima Maior (D#7M) que poderá ser visto abaixo:


Deslocando esta forma em mais uma casa ela se tornará a forma de Mi com Sétima Maior (E7M) que poderá também ser visualizada abaixo:

Se você seguir deslocando esta forma pelo Braço do Instrumento você também conseguirá fazer todos os Acordes com Sétima Maior. Já se você quiser fazer este mesmo Acorde mas com Sétima Menor você irá recuar a nota da Corda Si em uma casa formando assim o Acorde de Mi com Sétima (E7) que poderá ser visualizado abaixo:

Se você for seguir deslocando ou recuando esta forma também poderá fazer todos os Acordes com Sétima Menor.


Acordes Menores com Sétima: Para formar os Acordes Menores nós iremos usar apenas 3 formas porque elas são as mais práticas e as mais fáceis de montar. A primeira é a forma de Lá Menor (Am) que poderá ser visualizada abaixo:


Nós deveremos trocar os dedos para liberar o dedo 1, como já fizemos em todos os Acordes aqui mostrados. Se nós deslocarmos essa forma aqui falada até a 4º casa e colocar uma pestana na 3º casa até a 5º corda nós iremos então ter o Acorde de Dó Menor (Cm) que poderá ser visto abaixo:


Para nós conseguirmos esta forma mas com Sétima Maior nós iremos pegar a nota que está sendo feita na corda sol (3º corda) e deslocar ela uma casa para frente. Sendo assim formaremos então o Acorde de Dó Menor com Sétima Maior (Cm7M) que poderá ser visualizado abaixo:


Esta forma poderá ser deslocada por todo o Braço do Violão formando também todos os Acordes Menores com Sétima Maior. Para nós conseguirmos esse mesmo Acorde porém com Sétima Menor, basta nós deslocarmos a nota da corda Sol (3° corda) em uma casa para trás, ou seja, devemos soltar o dedo 2 deixando a corda apertada somente pela Pestana. Teremos então o Acorde de Dó Menor com Sétima (Cm7) que pode ser visualizado abaixo:


A segunda forma é a forma do Mi Menor (Em) que poderá ser visualizado abaixo:


Nós deveremos trocar os dedos para deixar liberado também o dedo 2 junto do dedo 1. Dai deveremos deslocar esta forma falada em uma casa e por uma Pestana na 1° casa apertando todas as cordas. Teremos então o Acorde de Fá Menor (Fm) que poderá ser visualizado abaixo:


Indo deslocando esta forma nós iremos conseguir realizar todos os Acordes Menores. Um exemplo deste deslocamento é o Acorde de Sol Menor (Gm) que nada mais é do que esta forma deslocada em duas casas. Abaixo visualize este acorde de Sol Menor (Gm):


Tomando este Acorde como referência nós iremos querer a Sétima Maior dele. A que nós estamos pressionando na corda Ré (4º Corda) faz uma Oitava com a Fundamental do Acorde, então basta nós deslocarmos essa nota em uma casa e ter então uma Sétima Maior, formando o Acorde de Sol Menor com Sétima Maior (Gm7M) que poderá ser visualizado abaixo:


Sendo assim se nós quisermos encontrar a Sétima Menor deste Acorde basta nós recuarmos a nota da Corda Ré (4º Corda) em uma casa novamente, ou seja, devemos desapertar o dedo 2 e deixar a corda pressionada apenas pela Pestana. Teremos então o Acorde de Sol Menor com Sétima (Gm7) que poderá ser visualizado abaixo:


Da mesma forma das formas anteriores nós poderemos deslocar esta forma para ir formando outros Acordes Menores com Sétima Menor. Esta forma também pode ser substituída por uma forma que dispensa o uso da Pestana, que continua com o mesmo nome. Abaixo visualize o Acorde de Sol Menor com Sétima (Gm7) em uma forma mais simples:


Nós também poderemos deslocar esta forma pelo Braço do Instrumento, formando assim outros Acordes Menores com Sétima Menor.
A outra forma é a forma de Ré Menor (Dm) que poderá ser visualizada abaixo:


Se nós trocarmos os dedos igual as outras formas mostradas e liberarmos o dedo 1 nós poderemos então deslocar essa forma e fazer outros Acordes Menores. Deslocando essa forma falada até a 4º casa e apertando com o dedo 1 a corda Ré da 3º casa nós iremos ter o Acorde de Fá Menor (Fm) que poderá ser visualizado abaixo:


A nota que nós estamos fazendo na Corda Si (2º Corda) é uma Oitava na nota Fundamental do Acorde, então nós devemos recuar ela em uma casa para que possa ter o valor de uma Sétima e então formar um Acorde com Sétima Maior, que será o Acorde de Fá Menor com Sétima Maior (Fm7M) que poderá ser visualizado abaixo:


Se nós pegarmos a mesma nota da Corda Si e recuar em mais uma csa nós teremos uma Sétima Menor e deveremos dar uma adaptada nos dedos para que formemos então o Acorde de Fá Menor com Sétima (Fm7) que poderá ser visualizado abaixo:


Nós poderemos também deslocar essa forma para outras regiões do Braço do Instrumento para realizar outros Acordes Menores com Sétima Menor.


Acordes Maiores com Sétima e Quinta Alterada: Esse mesmo Processo lógico mostrado acima poderá ser usado para montar as Tétrades com Quinta Alterada que são as Tétrades que possuem a Quinta Diminuta ou a Quinta Aumentada. Se nós tomarmos como referência o Acorde de Dó com Sétima Maior (C7M) derivado do Lá com Sétima Maior  (A7M). Abaixo a forma de Dó com Sétima Maior (C7M):


Nós deveremos identificar a Quinta (5ª) Justa do Acorde que é a nota que está apertando a Corda Ré (4º Corda). Essa quinta justa também aparece na Corda Mizinha. Nós devemos eliminar uma dessas duas cordas que possui Quinta Justa, então vamos eliminar a Corda Mizinha. Depois nós vamos pegar a outra Quinta Justa que é a Corda Ré (4º Corda) e jogar uma casa para frente, formando assim uma Quinta Aumentada. Sendo Assim nós teremos o Acorde de Dó com Sétima Maior e Quinta Aumentada [C7M (5+)] que poderá ser visualizado abaixo:


Para nós fazermos a Quinta Diminuta basta fazer ao Contrário. Ao invés de jogar a Quinta Justa em uma casa para frente, nós deveremos jogar ela uma casa para trás formando a Quinta Diminuta. Considerando o mesmo Acorde de Dó com Sétima Maior (C7M) nós teremos então o Acorde de Dó com Sétima Maior e Quinta Diminuta [C7M (5-)] que poderá ser visualizado abaixo:


Todas essa formas mostrada podem ser deslocadas no Braço do Violão formando assim todas as Quintas Alteradas, sendo ela Diminuta ou Aumentada. Agora vamos ver como fica isso usando a Sétima Menor: Pegaremos o Acorde de Dó com Sétima Menor (C7) como referência e ele poderá ser visualizado logo abaixo:


É o mesmo processo do Acorde Anterior. Nós deveremos achar uma das Quintas Justas que no nosso caso é a da Corda Ré (4º Corda) e jogar uma casa para frente para conseguir uma Quinta Aumentada, formando assim o Acorde de Dó com Sétima Menor e Quinta Aumentada [C7 (5+)] que poderá ser visualizado abaixo:


Usando o mesmo Dó com Sétima Menor mostrado anteriormente, nós iremos transformar o Acorde em um Acorde com Quinta Diminuta. Basta nós acharmos uma das Quintas Justas que no nosso caso é a nota feita pela Corda Ré (4º Corda) e jogar ela em uma casa para trás. Sendo assim nós teremos uma Quinta Diminuta formando então o Acorde de Dó com Sétima e Quinta Diminuta [C7 (5-)] que poderá ser visualizado logo abaixo:


Lembrando que nós devemos eliminar uma das Quintas Justas que no nosso caso é a Corda Mizinha.
Você poderá ver mais exemplos de Tétrades com Quinta Alterada na sua Apostila, pois esse post já está bastante grande e não poderei mostrar aqui. Na Apostila os Tópicos estão separados por Tétrades Aumentadas ou Diminutas sendo elas Maiores ou Menores. Vocês devem observar as cordas que não devem ser tocadas pois elas são muito importantes na hora da execução do Acorde.


Acordes Menores com Sétima e Quinta Alterada: Essa série de Acordes também possui 3 formas. A primeira forma é a Forma do Lá Menor. Nós vamos ter como referência um Acorde derivado do Lá Menor com Sétima (Am7) o Acorde de Si Menor com Sétima (Bm7) que poderá ser visualizado abaixo:


Nós temos a Quinta deste Acorde na Corda Ré (4º Corda). Esta é a Quinta Justa. Para nós conseguirmos a Quinta Diminuta basta recuar essa nota em uma casa, formando assim o Acorde de Si Menor com Sétima Menor e Quinta Diminuta [Bm7 (5-)] que poderá ser visualizado abaixo.


Lembrando que devemos excluir uma das Quintas Justas que é a Corda Mizinha. Nós também poderemos fazer este Acorde sem usar a Pestana. Desta forma ele ficará assim:


Voltando para o Acorde Si Menor com Sétima (Bm7) mostrado anteriormente nós também poderemos fazer a Quinta Aumentada. Basta nós pegarmos a Quinta Justa e Aumentar jogar ela uma casa pra frente. No nosso caso a Quinta Justa se localiza na nota que a Corda Ré (4º Corda) está fazendo. Sendo Assim o Acorde Irá se Tornar o Si Menor com Sétima Menor e Quinta Aumentada [Bm7 (5+)] que poderá ser visualizado abaixo:


Nós deveremos fazer este mesmo processo com os Acordes que possuem Sétima Maior que conseguiremos um resultado satisfatório. Não irei mostrar mais exemplos aqui pelo motivo citado anteriormente: A postagem já está muito grande e você poderá conferir mais esses exemplos visitando a sua Apostila. Considerando tudo que você aprendeu, tente fazer suas própias modificações nos Acordes.


Exercícios: Por último vamos aos Exercícios. Esse exercício tem como proposta fazer você exercitar as quatro principais Tétrades que foram mostradas aqui. Você poderá usar qualquer dedilhado que quiser, poderá também dar uma palhetada no Acorde. Fique à vontade quanto a isso! Comece bem devagar, depois quanto sentir segurança vá aumentando a velocidade da troca dos Acordes. Confira esses Acordes e as Cifras dos Exercícios na sua Apostila. Lá você encontra as Cifras dos Acordes seguidas nas ordens e a representação dos Acordes para você não se confudir na hora de tocar. Aproveite esse Exercício para treinar suas pestanas e a elasticidade dos seus dedos.


Então é isso Galera! Esse Post foi feito baseado em uma Vídeo-Aula feita pelo Cifra Club que fala sobre o mesmo assunto tratado aqui. Quem quiser ver este vídeo e ter mais detalhes sobre esse assunto basta clicar no link: Fomação de Acordes II - Tétrades: http://www.youtube.com/watch?v=YwpaiSYA9no


Estudem bem este conteúdo para que nós possamos seguir para o próximo Post deste Curso que fala sobre Notas Acrescentadas. Fique ligado no Blog Art Music e acompanhe as novidades que virão por ai. Os novos Posts dos outros Cursos podem demorar um pouco, tendo em vista que eu terei que aprontar Apostila e outras coisas mais para pelo menos dar início a Postagem.


Votem no Blog Art Music para o Prêmio TOPBLOG 2011! Basta você clicar no selo que está presente na parte lateral direita da página do Blog ou clicar no link abaixo. As formas de votação são pelo Twitter ou E-mail.


Espero ter Ajudado Vocês! Bom Estudo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário